Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Dicas para comprar seu vinho

Imagem
As principais dicas para comprar um vinho, confira :)

Conheça seu fornecedor de vinhos;Compre seus vinhos em adegas especializadas que acondicionam bem as garrafas;Peça ajuda ao sommelier, este profissional está capacitado para entender sua necessidade e indicar rótulos que podem agradar ao seu paladar. Também pode colaborar para que sua degustação se torne um momento especial, indicando a harmonização adequada;Leia o rótulo e o contra-rótulo com atenção, eles trazem informações importantes como o tipo de uva, graduação alcoólica e em alguns casos até mesmo características organolépticas do vinho;Observe a safra do vinho. O vinho deve ser degustado na idade correta, muito novo ou velho demais, pode ser um problema;Nem sempre o mais caro é o melhor;Busque se informar, leia sobre o assunto, faça cursos de degustação ou mesmo se reúna com amigos para apreciar e aprender um pouco mais sobre vinho;Observe pontuações e recomendações dos críticos, elas podem ajudar;Sugestões de amigos, matéri…

Penne 5 queijos com rúcula e tomate seco

Imagem
Hora da fome?!
Confira uma sugestão deliciosa da Santa Chiara, Penne 5 queijos com rúcula e tomate seco.



Ingredientes


1 vidro de 170g de Tomate Seco Santa Chiara;1 pacote de penne;200g de queijo prato ralado;200g de queijo provolone ralado;200g de queijo parmesão ralado;100g de queijo gorgonzola em pedaços;200g de queijo mussarela ralado;200g de creme de leite;1 cebola ralada;1 colher (sopa) manteiga;1 maço de rúcula;Sal a gosto.
Modo de Preparo

Cozinhe o macarrão ao ponto "al dente" e reserve. Derreta a manteiga e doure a cebola. Após, abaixe o fogo e acrescente todos os queijos mexendo para que eles derretam bem. Desligue o fogo e acrescente o creme de leite. A seguir, acerte o sal e acrescente a rúcula picadinha. Por fim, coloque o macarrão em um refratário, cubra com o creme e decore com tomates secos.

A harmonização no decorrer dos séculos

Imagem
A harmonização do vinho com o alimento foi sendo posta em prática de maneiras diferentes nos vários países europeus, sendo que somente na Itália foi realmente estudada e aprofundada até se tornar quase uma ciência.


ESCOLA INGLESA
Resolveu o problema deixando absoluta liberdade na escolha, o que não deixa de ter certa razão. A partir do momento em que reconhecemos que cada um de nós não pode saber o que o outro está realmente percebendo na degustação, é bastante razoável dizer que cada um de nós tem o direito de combinar vinho e alimento da maneira que mais lhe aprouver. Essa teoria, porém, deixa o indivíduo completamente abandonado a si mesmo, e como a maioria não tem conhecimento aprofundado do assunto, a pessoa fica meio perdida...
ESCOLA FRANCESA
Também se baseia no gosto pessoal, mas elaborou uma espécie de regulamento para que a pessoa não cometa erros muito grosseiros. A seguir, as regras: Regra 1: Nenhum grande vinho licoroso branco pode ser servido com carnes vermelhas ou caça;Regr…

Cheesecake de Frutas Vermelhas

Imagem
Para adoçar a terça-feira, receita Casa Madeira: um delicioso cheesecake de frutas vermelhas.



Ingredientes
400g de biscoito de maisena200g de manteiga derretida750g de cream cheese2 potes de iogurte natural4 ovos1 colher de sopa de essência de baunilha1 xícara de açúcarMorangosCerejas em caldaGeleia Tradicional de Frutas Vermelhas Casa Madeira
Modo de Preparo
Triture o biscoito até virar uma farinha, junte com a manteiga e misture. Reserve. Unte uma forma de fundo removível com margarina e espalhe o biscoito, após leve a geladeira. Na batedeira, bata o cream cheese, o iogurte, os ovos, a baunilha e o açúcar em velocidade baixa. Coloque o creme na forma e leve ao forno (250 ºC) até o creme ficar dourado. Em uma panela coloque os morangos, as cerejas em calda e a Geleia Tradicional de Frutas Vermelhas Casa Madeira até formar uma calda homogênea. Por fim, coloque a calda em cima da torta e leve à geladeira por aproximadamente 3 horas.

Fonte
Casa Madeira

Como montar uma adega

Imagem
Montar e organizar uma adega, certamente, é um grande prazer tanto para os enófilos quanto para os mais singelos apreciadores da bebida. Mesmo aqueles que não têm em casa um lugar adequado podem transformar a garagem, algum armário ou mesmo a cozinha em adega.


Condições ambientais ideais para uma adegaTemperatura: 12-18°C Umidade: moderada 65-75% Arejamento: moderado (boa ventilação) Luminosidade: mínima Vibração: mínima ou nula
As condições ambientais da adega interferem diretamente na qualidade dos vinhos nela armazenados. Assim, para que o vinho envelheça no tempo certo e no intuito de evitar estragos nas rolhas, deve-se manter a umidade ideal dentro do ambiente. Também se sugere que haja um condicionador de ar na adega para o equilíbrio da temperatura; afinal, o vinho mantido em ambiente superior a 20°C tende a amadurecer antes do tempo devido. Tal recurso evita a formação desagradável de mofo e cheiros fortes. A fim de controlar os referidos fatores, torna-se indispensável a utilização…

Sobre Harmonização

Imagem
O que é “harmonizar” um vinho com um determinado prato? É escolher um vinho de tal maneira que tanto o vinho como o alimento sejam valorizados e ressaltados, quando consumidos em conjunto.

Na realidade, só nos últimos séculos, com o aprimoramento da produção de vinhos, essa pergunta começou a ser feita. Não podemos esquecer que, apesar de o vinho ser um produto conhecido há milênios, somente há dois ou três séculos, sua produção começou a obedecer certos critérios de fabricação capazes de melhorar sua qualidade. Na Antiguidade, fazia-se vinho simplesmente amassando as uvas (normalmente com os pés). O mosto obtido era colocado a fermentar em ânforas de cerâmica, já que, naqueles tempos, o vidro não tinha produção em quantidade e era tido como um objeto precioso. Isso aconteceu com os egípcios e os romanos, passando pelos gregos. Sendo a cerâmica um material poroso, o vinho estava em contato com o ar, com duas graves consequências para sua qualidade: ele se concentrava até ficar quase um xarop…

Degustando o vinho: tato e sensações complexas

Imagem
Saiba mais sobre o tato e as sensações complexas no momento da degustação.

Tato

São estímulos mecânicos ou químicos sentidos na língua e na cavidade bucal ao se degustar o vinho. Aspectos gustativos como a acidez, a doçura, o amargor, a sapidez, a tanicidade e o teor alcoólico devem causar sensação agradável e equilibrada. São assim definidos: Adstringência (tanicidade): nada mais é que a sensação causada pelos taninos do vinho combinados com as proteínas enzimáticas presentes na saliva que resultam na sensação de boca seca (semelhante ao que sentimos ao comermos uma banana verde). Corpo: os vinhos que causam a sensação de que podem ser mastigados são chamados de “encorpados”. Tal característica decorre, em especial, do componente glicerol. Os vinhos aguados, por sua vez, são denominados “magros” ou “de pouco corpo”. Gás carbônico: a impressão de termos agulhas picando a língua, que pode ser percebida ao se saborear alguns frisantes e espumantes, é consequência da presença de gás carbônico…

Boccati realiza sua primeira exportação para a Europa

Imagem
Innkeeper Supplies, uma das principais distribuidoras de acessórios para vinhos e espumantes do mundo, passa a revender produtos Boccati.
Os produtos de fabricação própria da Boccati estiveram presentes na da London Wine Fair 2016. Durante a feira, que é uma das principais de comércio de vinho no mundo, a empresa britânica Innkeeper Supplies conheceu alguns dos produtos Boccati e demonstrou interesse pela linha de fabricação própria da empresa. Com isso, a Boccati obteve a oportunidade de ampliar negociações internacionais, passando a exportar também para a Europa. Os produtos de preferência da Innkeeper Supplies foram a charmosa Banheira Suprema e as champanheiras Grande e Elegance; visto que já há clientes no local interessados nesses produtos.



“A Innkeeper Supplies é uma das principais distribuidoras da Europa e fornece para muitas vinícolas que tem seus vinhos comercializados pela Boccati no Brasil; esse fato gera um link interessante para nós e oferece credibilidade à empresa. També…

Comer macarrão é saudável

Imagem
Você acredita? A Paganini diz o porque:


O macarrão e as massas em geral foram vistos como vilões durante muito tempo, principalmente por aqueles que buscam uma vida saudável ou que são adeptos a uma dieta sem carboidratos. Porém, poucos lembram que o macarrão é um alimento altamente nutritivo, e em versões enriquecidas possui menor teor de gordura. Outra escolha saudável é a opção pelo macarrão integral, que possui menos calorias e que, por demorar mais para ser absorvido pelo organismo, sacia por mais tempo. Dar preferência por molhos mais leves, como o de tomate, e evitar os brancos, que costumam levar muito creme, completam as escolhas saudáveis.
Aproveite as dicas e bom apetite!
Fonte Paganini

Degustando o vinho: o exame gustativo

Imagem
Realiza-se colocando um gole não exagerado (15ml ou uma colher de sopa) de vinho na boca, deixando-o girar lentamente no seu interior, de modo a permitir que entre em contato com as diferentes regiões gustativas da língua. Um bom vinho deve ter sabores agradáveis, de boa intensidade e compatíveis com seu tipo. Por exemplo, em um vinho seco, não se espera encontrar sabor doce.
Sabores
Figura 1: O sabor da vida

Fonte: http://portaldoprofessor.mec.gov.br
Ácido: é percebido nas porções laterais da língua. É mais acentuado nos vinhos jovens do que nos velhos e mais nos brancos do que nos tintos;Amargo: é percebido na região posterior da língua. Deve estar presente, mas não muito intenso a ponto de ser desagradável;Doce: os receptores gustativos para o sabor doce estão na ponta da língua;Salgado: é percebido no centro da língua. Pode estar presente em alguns vinhos mais minerais, mas deve estar em equilíbrio.
Confira mais informações como essa no livro Degustação: manual básico para degustar vin…

A origem da Appellation d’Origine Contrôlée (AOC)

Imagem
As constantes fraudes e falsificações dos vinhos provenientes de Châteauneuf-du-Pape, no vale sul do Ródano, na Provence, levaram os produtores locais a se unirem e a criarem uma associação, para fiscalizar os vinhos comercializados com esse nome. Liderada pelo advogado barão Pierre Le Roy de Boiseaumarié, eles redigiram as normas que passariam a regular a produção de vinhos na região – a Appellation Châteauneuf-du-Pape Contrôlée. Em 1936, essas normas se transformaram em lei, dando origem à Appellation d’Origine Contrôlée (AOC). O conceito de AOC, aos poucos, se estendeu para todas as demais regiões produtoras francesas e influenciou a regulamentação da vinicultura de outros países.

Confira mais informações como essa no livro Vinho: histórias, particularidades e seus destilados da Coleção Enogastronômica Boccati.