Postagens

Mostrando postagens de 2017

Como harmonizar sua ceia de Natal

Imagem
Uma das melhores épocas do ano está chegando, a noite de Natal e, adicionar um bom vinho à mesa deixará esse momento ainda mais perfeito. Para ajudar, seguem algumas dicas de harmonização com os pratos mais tradicionais da ceia natalina.
Peru: Com sabor marcante, harmoniza com tintos de média estrutura e acidez agradável, sem excesso de teor alcoólico. Um Pinot Noir do Velho Mundo e os tintos portugueses do Douro são excelentes opções.
Carnes Suínas: Podem ser harmonizadas com vinhos tintos ou brancos. Pernil e costelinha que são mais gordurosos combinam com os vinhos espanhóis da casta Tempranillo, com o Pinot Noir do Novo Mundo ou com o Merlot tradicional. Já lombinho e picanha suína que são carnes mais suaves, pedem vinhos brancos, como Sauvignon Blanc brasileiro ou chileno ou um Chardonnay com notas de madeira mais acentuadas.
Bacalhau: Para pratos com bacalhau, dê preferência aos vinhos aromáticos e jovens, brancos com algum corpo e perfumados, com acidez, sem madeira, jovens e fru…

Espumante Brut, Demi-Sec ou Moscatel?

Imagem
Está chegando a hora de brindar a chegada de 2018. E qual é o melhor espumante para acompanhar a refeição da virada? Essa é uma dúvida muito comum e a classificação do espumante auxilia na escolha dos rótulos!
A classificação do espumante pode se dar em relação a quantidade de açúcar que o vinho possui:  Brut: para quem aprecia um espumante seco, possui teor de açúcar variando de 8g/l a 15g/l.Demi-sec:para quem aprecia um espumante meio doce, possui teor de açúcar variando de 20g/l a 60g/l.Moscatel:para quem aprecia um espumante doce, possui teor de açúcar variando de 60g/l a 80g/l.
Além desses tipos de espumantes, existem também o Nature que émuito seco e possui menos de 3g/l e o Extra-Brut, também muito seco e possui teor de açúcar variando entre 3g/l a 8g/l.
Outra forma de classificação dos espumantes é relativa ao método da segunda fermentação, que podem ser basicamente de duas maneiras: Método Charmat: através do método Charmat, dentro de grandes tanques, geralmente utilizado nos espu…

Vinhos e churrasco: aprenda a harmonizar

Imagem
Eles combinam sim! Para quem curte servir churrasco com um bom vinho, é importante saber que não há um estilo único de tinto indicado para harmonizar. A harmonização vai muito além, deve-se prestar atenção no modo de preparo, temperos, molhos e quantidade de gordura da carne para então escolher o vinho. É importante destacar que sal e tanino são duas coisas que não combinam, por isso, quanto mais salgada a carne, menor deve ser o tanino do vinho (e vice-versa). No caso de a carne ser gordurosa, pode-se degustar rótulos com maior acidez e taninos para amenizar a gordura que envolverá o paladar.
Abaixo algumas dicas para você harmonizar com cada tipo de carne:
Picanha

É tradicionalmente uma carne macia, fibrosa e com uma capa de gordura. É fácil e rápida de preparar e deve-se manter a gordura para que o sabor e a maciez sejam acentuados. Para garantir uma boa harmonização, sugere-se um Malbec. O argentino Nieto Senetiner Emilia Malbec é uma boa pedida, vinho seco, encorporado com acidez el…

Boccati representa Riedel no Brasil

Imagem
Empresa austríaca é conhecida como a inventora das taças  específicas para cada varietal do vinho
A coordenadora de comunicação da Boccati, Eduarda D´Agostini, viajou para a cidade de Kufstein, na Áustria, para receber um treinamento na Riedel, empresa que produz algumas das melhores taças e decanters encontrados no mercado mundial. Nos dias 17, 18, 19 e 20 de outubro, Eduarda recebeu treinamentos para se tornar Embaixadora da marca Riedel no Brasil. Além da capacitação, também visitou a fábrica artesanal na Áustria e as fábricas que ficam na Alemanha, em Amberg e Weiden, onde a linha de montagem é totalmente automatizada. Com o título de Embaixadora, a coordenadora de comunicação também pode divulgar a marca Riedel no Brasil e ministrar degustações. “Vejo que é papel da Boccati manter-se atualizada e trazer sempre novidades e produtos de extrema qualidade para nossos clientes apreciadores do mundo do vinho e da gastronomia”, afirma Eduarda.
Eduarda e Georg J. Riedel, da 10ª geração da f…

Aprenda a conservar um vinho que já foi aberto

Imagem
Uma vez aberta a garrafa, o vinho entra em contato constante com o oxigênio, oxidando-se em pouco tempo e perdendo seus sabores e aromas. A oxidação é questão de tempo, trata-se de um processo gradual. A cada dia, o vinho estará um pouco mais oxidado, até atingir um ponto em que se tornará impossível bebê-lo, pode demorar horas ou vários dias. Depois de aberto o vinho branco, rosé e tinto leve duram em média dois dias. Já os tintos mais encorpados podem durar até três - dependendo a qualidade. Os vinhos com mais corpo e mais álcool resistem mais. Para protelar o problema, é aconselhável tampar a garrafa com a própria rolha, colocando-a na porta da geladeira, procurando beber o restante do vinho no dia seguinte.

Mas, a melhor solução é utilizar o salva-vinho ou a "bomba de vácuo", ou vacu-vin (francês), ou wine-saver (inglês). Trata-se de uma pequena bomba que possui um êmbolo (semelhante ao de uma seringa de injeção) que se adapta a uma rolha especial de borracha colocada na …

Valle de la Puerta

Imagem
O Valle de la Puerta foi estabelecido em 1994. Hoje, o estabelecimento aproveita quase mil hectares de vinhas e oliveiras no Vale da Famatina, na região de La Rioja, a cerca de 754 milhas a noroeste de Buenos Aires. As vinhas são distribuídas entre 1000 e 1250 metros de altura, num vale onde se tem vista para as cadeias de Velasco e Famatina.




Esse vale único oferece um magnífico cenário visual, com dias de verão quentes e secos e noites frescas, combinados com o ar limpo e a topografia do vale do deserto para garantir excelentes condições de amadurecimento para uvas e azeitonas.  A adega foi construída em 2002, sendo uma das vinícolas mais modernas e tecnologicamente avançadas do seu tipo na Argentina. E foi em 2005 que foi inaugurada a fábrica de azeite. 
Um passeio mágico .... As vinhas, o pomar de oliveiras e vinícolas podem ser visitas com bicicletas ao ritmo de cada pessoas. Ou, pode-se visitar através de visita guiada, com carros.


Mais informações no site: Valle de la Puerta
Confira a…

Circuito Enogastronômico Brasil é sucesso na Boccati

Imagem
550 pessoas estiveram presentes na concorrida noite que reuniu vinhos, gastronomia e cultura
O Circuito Enogastronômico Brasil, realizado pela Boccati, recebeu 550 pessoas na loja e na adega subterrânea, em Caxias do Sul, na última sexta-feira, 27 de outubro. O evento apresentou mais de 70 rótulos entre vinhos e espumantes brasileiros de mais de 20 vinícolas.


A gastronomia ficou por conta da Escola de Gastronomia Sal a Gosto, restaurante Osaka Culinária Japonesa, pães de Pane & Salute e queijos RAR. Para sobremesa, doces típicos brasileiros preparados pela chef Ana Ditadi, café Bom Jesus e sorvetes da Sorvelândia.





Os lounges temáticos contaram com atrações especiais como o samba de Dan Ferreti e Espaço de Dança André Ribeiro; MPB com Sandro Stecanela e o sertanejo de Cris Bianco. Para relaxar, quick massage. Além disso, o evento contou drinks da Tropical Bartender's, totem e painel fotográficos.


Qual teria sido o vinho da última ceia?

Imagem
Protagonista em muitos trechos bíblicos, o vinho ainda é um forte símbolo do cristianismo. E se em um exercício os aspectos religiosos fossem colocados de lado, e uma análise focada na bebida crística, fosse feita. Quais seriam as preferências dos consumidores de vinhos na época em que Jesus viveu? Arqueólogos e historiadores já encontraram provas substanciais de vinificação nas regiões que Jesus teria percorrido. Para o arqueólogo Patrick McGovern, professor do Museu de Arqueologia da Universidade da Pensilvânia, o vinho servido na Última Ceia poderia ter sido muito semelhante ao Amarone de hoje, com base em evidências existentes sobre as práticas de vinificação na área naquele momento histórico. A literatura sobrevivente diz que os vinhos locais da antiga Jerusalém e Judá foram descritos como escuros e ricos. McGovern relata ainda que o vinho das terras altas da Transjordânia central era notoriamente tão forte que “induzia o corpo a pecar".


De acordo com o pesquisador, apenas os …

6 pratos comuns para serem harmonizados com vinhos

Imagem
Muitas pessoas acreditam que um bom vinho só pode ser degustado na companhia de pratos sofisticados. Mas, aí que se enganam... Em entrevista para a Revista Exame, o especialista em harmonização Rodrigo Bertin desmitifica o mito: “Quando utilizado junto da comida, seja ela qual for, o vinho tem a capacidade de complementar o alimento, ampliando o sabor da comida e preparando as papilas gustativas para receber a próxima garfada ou mordida”, explica.
Confira 6 pratos do dia a dia que podem ser harmonizados perfeitamente com vinho:
1 – Pastelzinho:  Pode ficar ainda melhor quando se utiliza um bom vinho, pois ele limpa a gordura da fritura de nossa boca e combina muito bem com os mais variados recheios. Combina com vinho tinto e as uvas mais indicadas são Pinot Noir, Carmenère e Merlot.
2 – Frango à passarinho:  Quando harmonizado com um vinho também diminui a gordura. Neste caso, indica-se um vinho tinto ou branco bem jovem e frutado, de uvas Pinot Noir, Merlot ou Chardonnay.
3 – Calabresa ace…

Boccati promove imersão enogastronômica com a temática Brasil

Imagem
Seguindo a tradição dos Circuitos Enogastronômicos, a Boccati desenvolve a oitava edição do evento

Na noite de 27 de outubro, a Boccati realizará o Circuito Enogastronômico Brasil. Serão nove mesas com mais de 70 rótulos de vinhos e espumantes brasileiros. “Além de proporcionar aos nossos clientes uma experiência incrível no mundo do vinho, com a presença de 21 vinícolas, queremos trazer ao evento a diversidade cultural e gastronômica do nosso país, através de atrações típicas e lounges temáticos”, afirma o sócio-proprietário da Boccati, Julio D´Agostini. Para o gerente de Promoção do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Diego Bertolini, o Circuito Enogastronômico Boccati propiciará que os consumidores da Serra Gaúcha conheçam mais sobre a diversidade da produção brasileira, incluindo rótulos com Indicações de Procedência e Denominação de Origem. “Cada região produtora desenvolveu sua especialidade, elaborando vinhos e espumantes com cultura, tipicidade e sotaque próprios. Os produtos…